Olho Selvagem

De dezembro de 2018 a março de 2019, deCurators recebe o ciclo Olho Selvagem. Idealizado por Mariana Destro, o ciclo é dedicado à descentralização de narrativas não masculinas.

olho-selvagem

Apresentamos jovens mulheres construindo narrativas, reivindicando pontos de vista não hegemônicos. O olho selvagem expurga a dominação tradicional do olhar masculino e reorienta a significância do feminino: mulheres olhando mulheres.

Consolo

Em Consolo, primeira exposição do ciclo, apresentamos trabalhos de Manoela Morgado e Mariana Destro. Consolo esteve em exibição de 15 de dezembro de 2018 a 4 de janeiro de 2019.

“Em um terceiro momento de reflexibilidade discursiva, o dildo se volta sobre o corpo, translando-se sobre ele para contrassexualizá-lo (ver as práticas de inversão e de citação contrassexual). Dessa maneira, o corpo, que dependia de uma ordem orgânica hierarquizante e diferenciável, transforma-se em pura horizontalidade, em superfície plana onde os órgãos e as citações se deslocam em velocidade variável. O dildo realiza aí sua verdade: é efeito múltiplo e não origem única.”

Paul B. Preciado, Manifesto Contrassexual

Malena Stefano, suma sacerdotisa do experimentalismo sentimental, realizou um live-set na exposição, norteado pela representação de um simulacro da natureza, onde o ar está tão poluído que suas toxinas levam a um profundo sono. Sonhos premonitórios.

Nenhum homem no mundo

Nenhum homem no mundo estará em exibição de 12 de janeiro a 3 de fevereiro de 2019. Com curadoria de Kabe Rodríguez, a exposição apresenta trabalhos de Agrippina R. Manhattan, Alla Soüb, Ana Matheus Abbade, Bia Leite, Danna Lua Irigaray, Laura Fraiz-Grijalba, Maria Eugênia Matricardi e Romulo Barros, além de performance sonora de Pietra Souza.

16/2—8/3

Frank, trabalhos de Bia Leite e curadoria de Mariana Destro