Eksperimentalis Residência

Durante o ano de 2017 deCurators desenvolveu uma série de eventos experimentais nas áreas de música, cinema, performance, arte conceitual e residência artística, em colaboração com diversos artistas e curadores. Foram eventos que privilegiaram a imersão em determinadas linguagens e/ou temáticas, possuindo um viés didático.

Eksperimentalis Residência Mobilidade

A dupla de artistas cariocas Raisa Curty e Ale Gabeira inaugurou a categoria Residência, trazendo o projeto “Residência Artística Móvel”, compartilhando imagens e vivências de três anos de pedalada pelo Brasil. O trabalho dos dois se apropria do legado de artistas dos anos 1960 e 1970, como Bas Jan Ader e suas viagens pelo oceano; Robert Smithson, que encontra em lugares distantes da galeria uma estimulante superfície para inserção de suas obras; e de Hélio Oiticica, com seu conceito de arte como a criação de uma possibilidade de vida.

RAISA CURTY é artista visual e artista educadora, mas não diferencia uma atividade da outra. Seu trabalho é motivado pelo desejo de estar e deixar à vontade no mundo. Para isso, empenha-se em recriar suas mitologias pessoais e em reinventar os seres humanos. Frequentou diversos cursos na Escola de Artes Visuais do Parque Lage e recentemente graduou-se na Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Trabalhou como artista educadora no CCBB e hoje desenvolve um projeto que leva escolas públicas para visitação das galerias de arte de seus bairros. Em 2014, foi assistente do artista Roberto Cabot em seu projeto de pintura para a Bienal de Taipei, com curadoria de Nicolas Bourriaud.

ALE GABEIRA iniciou sua trajetória trabalhando como cineasta, fotógrafo e jornalista. A partir de 2008, documenta processos de artistas e produz videoarte para exposições no Espaço Furnas Cultural, Centro Cultural da Justiça Federal – CCFJ e Largo das Artes. Desde então, em seus seis anos de atuação, desenvolve um trabalho que se apropria constantemente da precariedade e o constrói num encontro com materiais incertos. Em 2010, realiza uma residência artística no Instituto Nacional de Belas Artes de Tetuan, no Marrocos, com o Radiografia Project. No Rio de Janeiro, foi fomentador dos projetos de atelier coletivo FixosFluxos e ÁS – Atelier Sustentável. Seu trabalho no FixosFluxos (2012-2013) abrangeu experimentações em diversos campos, exposições coletivas e a sua segunda individual. No ÁS desenvolve, desde 2012, uma pesquisa onde agrega ao seu trabalho a utilização de materiais naturais e reafirma nele o uso do reaproveitamento no processo compositivo de suas obras.

Eksperimentalis Residência Rurais

O segundo evento da categoria Residência trouxe a curadora Renata Azambuja e os artistas Iris Helena, Mauricio Chades, Isabela Couto e Gisel Carriconde Azevedo numa mesa redonda voltada para questões especificas de residências artisticas em áreas rurais do país.

GISEL CARRICONDE AZEVEDO é artista plástica graduada pela Universidade de Brasília, com mestrado e doutorado na University of Brighton e na University of East London, respectivamente. Entre 2000 a 2016, trabalhou com design de exposições na Galeria de Arte e no Museu de Valores do Banco Central; essa experiência marcou sua produção artística, direcionando sua atenção para a relação objeto x espaço x público. Nesse processo, a adoção de práticas museológicas associadas ao colecionismo e ao uso do objeto e da linguagem na construção do conhecimento tornaram-se elementos importantes em seu trabalho. Desde 2012, tem participado de residências artísticas em diferentes países, como Inglaterra, Portugal e Brasil. Em julho de 2017, foi contemplada com a bolsa Conexão FAC, para realização de residência artística na Reserva Serra Bonita, Camacã, Bahia.

ISABELA COUTO é formada em artes visuais pela Universidade de Brasília (2010). Tem participado de várias exposições coletivas locais; atualmente, prepara sua primeira exposição individual, no Centro Cultural Elefante, com curadoria de Cinara Barbosa. Em 2016, foi selecionada para o programa de residência do Parque Lage, RJ. Em 2017, foi contemplada com a bolsa Conexão FAC, para realização de uma residencia artistica na Reserva Serra Bonita, Camacã, Bahia. Seu trabalho investiga a natureza e a relação artificial assumida pela cultura humana ao dirigir-se ao mundo natural. Para isso, costuma navegar por conceitos botânicos “a fim de destacá-los dos guias/manuais da ciência para diluí-los aos ventos artísticos”.

IRIS HELENA é uma artista multidisciplinar nascida em João Pessoa, graduada em Artes Visuais pela Universidade Federal da Paraíba, Mestre em Artes – Poéticas Contemporâneas e doutoranda em Métodos e Processo em Arte Contemporânea pela Universidade de Brasília. Sua pesquisa caracteriza-se pela investigação crítica, filosófica estética e poética da paisagem urbana, da imagem da cidade, da (re)construção da memória atrelada ao risco, a instabilidade, sobretudo, ao desejo do apagamento. Além de cinco exposições individuais, participou de inúmeras exposições coletivas nacionais e internacionais. Em 2011, participou do programa RUMOS Artes Visuais edição 2011-2013 do Itaú Cultural. Participou de quatro residências artísticas: na cidade de Sena Madureira, Acre (2012), Frankfurt, Alemanha (2013), Brasília, DF (2014), Olhos D’água, GO (2015). Iris Helena é integrante do grupo de artistas pesquisadores VAGA-MUNDO: poéticas nômades vinculados a Universidade de Brasília (CNPq). O grupo realiza residências e expedições pensando geopoética e poéticas da paisagem. Vive e trabalha em Brasília, Brasil.

MAURICIO CHADES é artista visual e cineasta. Mestre em Arte (Arte e Tecnologia, PPG-Arte/UnB, 2016) e Bacharel em Audiovisual (FAC-UnB, 2013). Reside no Córrego do Urubu desde 2014, a paisagem rural que acolheu as videoinstalações da série “Pirâmide, Urubu”, desenvolvidas ao longo do mestrado. É co-fundador do Espaço AVI, lugar de criação que sedia projetos como o Kinofogo, cineclube que propõe a exibição de filmes a céu aberto e práticas em torno da fogueira.

RENATA AZAMBUJA é pesquisadora, curadora independente, crítica de arte e arte-educadora. Atuou, de 1999 a 2011, como professora colaboradora de disciplinas dos cursos de Bacharelado e Licenciatura em Artes Visuais no Instituto de Artes da
Universidade de Brasília-UnB. É licenciada em Artes Plásticas pela UnB e mestre em Teoria e História da Arte Moderna e Contemporânea pelo City College of the City University of New York. Atualmente, é curadora do Nucleo de Arte do Centro-Oeste e doutoranda do Instituto de Arte da Universidade em Brasília.

Eksperimentalis Residência Sonora

O terceiro evento da categoria Residência trouxe o pesquisador e poeta sonoro Matheus Vinhal, mestre em Estudos Latino-Americanos pela Université Paris 3 Sorbonne Nouvelle e consultor musical/curador do selo X5 Music Group.

Nesta edição, Matheus apresentou alguns dos trabalhos concebidos e gravados na residência de arte sonora SOMSOCOSMOS, realizada na Residência São João, em região rural próxima a São José do Vale do Rio Preto (RJ), entre 2 e 12 de junho de 2017.

Foram apresentadas três peças sonoras experimentais que utilizam, dentre outras coisas imaginárias: samples em loop de canções populares brasileiras; instrumentos tradicionais como a viola caipira ou a guitarra elétrica; e materiais e restos naturais da região enquanto artefatos sonoros.

Realizado dentro da galeria, o evento ocorreu a portas fechadas e no escuro (duração média de uma hora). No final, houve meia-hora de conversa com o pesquisador.