Cinara Barbosa & Lis Marina Oliveira

instagram-cinara-lis.jpg

CINARA BARBOSA é professora do Departamento de Artes Visuais (VIS) da Universidade de Brasília (UnB). Mestre e doutora em Arte Contemporânea pelo PPG-Arte UnB. Membro do Conselho da Galeria Espaço Piloto da UnB. Curadora e diretora artística do Elefante Centro Cultural (DF), espaço autônomo de artes visuais. Idealizadora do BSB Plano das Artes, ganhador do Fundo de Apoio à Cultura (FAC) 2016/2017, projeto que envolve espaços independentes e ateliês de Brasília com foco na formação de arte-educadores para o circuito autônomo das artes na cidade. Entre as curadorias recentes realizadas estão: Verter, de Adriana Vignoli; Uma Tipologia de Nós: cinco formas de contar horas alongadas, de Cecilia Mori; Labirinto, de Christus Nóbrega, Palácio das Artes (MG) e Referência Galeria de Arte, Brasília, DF.

LIS MARINA OLIVEIRA é artista visual. Reside em Brasília e desenvolve um trabalho que permeia o campo da fotografia, da performance, da instalação e do encontro com objetos. Realizou a exposição individual Ensaios Para Performance e Dança (deCurators, 2013) e EXTRAINTERIORES (Livraria Cultura, 2013). Participou das coletivas Não Matarás, Museu Nacional, 2017 (DF), ONDEANDAAONDA II, Museu Nacional, 2017 (DF), Transitório/Permanente II no Centro Cultural Elefante, 2016 (DF), Ocupação 2.0 no Centro Cultural Elefante em 2015 (DF), ONDEANDAAONDA no Museu Nacional, 2015 (DF), SEUmuSEU Expoexperimento, Museu Nacional, 2014, MAB – Diálogos da Resistência. Participou da performance Transbordação, da Dora Smeck (SESC Bom Retiro, SP, 2016). Foi selecionada pelo Projeto Fora do Eixo, V. 03 (Funarte Brasília – Galeria Rubem Valentim 2011), pelo prêmio Câmara de Fotografia (Câmara dos Deputados, Congresso Nacional – 2010), pela XI Ciranda de Psicanálise e Arte, Loucura – Arte – Loucura: Veredas do Inconsciente (MAR, RJ, 2014) e pela IX Ciranda de Psicanálise e Arte, EROTISMO – DO AMOR A ANGÚSTIA (CPH, RJ, 2014).

Matéria no Acha Brasília: Espaço deCurators recebe a exposição Mundo Suspenso

Texto da vitrine

Sentidos

– E quando se requer que as coisas sejam outras para além daquilo que se expõe?

– Temos o infinito por dimensão.

Cinara Barbosa

Texto curatorial

Conversa entre curadora e artista:

Cinara Barbosa

Lis Marina Oliveira

Entrevista com Cinara Barbosa

Em breve.

Quatro poderes, performance musical

A série de performances musicais que acompanha o Ciclo Curare dá continuidade ao Eksperimentalis som (2017). Em seu novo formato, músicos da cidade são convidados a criar uma peça que dialogue com a instalação na vitrine da galeria.

Para Mundo Suspenso, Phil Jones e músicos convidados realizaram um diálogo sonoro a quatro mãos: Eufrásio Prates, Krishna Passos (K-Torrent) e Victor Hugo.

Phil Jones (http://synaesmedia.net/) é o responsável pela idealização e curadoria de todos os  eventos sonoros do Ciclo.